Edwin Howard Armstrong

Edwin H. Armstrong (1890-1954)

 

IRE Medal on Honor 1918

Franklin Institute (Stuart Balantine Medal) 1941

Edison Medal from the AIEE 1943

 

Um Engenheiro de verdade!

ARMSTRONG E A MODULAÇÃO EM FREQÜÊNCIA

Uma página importante na História das Telecomunicações foi o desenvolvimento da FM. Esta modulação foi primariamente concebida objetivando reduzir os requisitos de Banda Passante; acreditava-se (ingenuamente) que a FM poderia ser usada para diminuir a largura de faixa do sinal modulado. Contudo, em 1922, o Matemático J.R. Carson mostrou que a modulação em freqüência produz uma infinidade de pares de bandas laterais. Muito embora o artigo criticasse corretamente a FM como estratégia para reduzir a Banda, ele infelizmente convenceu muitos Engenheiros, incluindo o próprio Carson, que FM teria um futuro pouco promissor. Textualmente: "Consequently this method of modulation inherently distorts without any compensating advantages whatsoever" Sic.

Somente em 1936, a surpresa veio, como uma bomba, com a publicação do famoso "A Method of Reducing Disturbances in Radio Signaling by a System of Frequency Modulation" pelo brilhante Engo Major Edwin Howard Armstrong (1890-1954) da Columbia University (ARMS 36), estabelecendo as vantagens da FM devido às suas propriedades supressoras de ruído: WBFM apresenta maior imunidade ao ruído!

Após infrutíferas tentativas de interessar a poderosa RCA "Radio Corporation of America " no novo sistema, Armstrong instalou um Transmissor FM em Alpina NJ e começou com rádiodifusão regular em 1939. Todas as estações comerciais FM em operação empregam o método de geração (indireto) de FM proposto por Amstrong.

Mais tarde, cerca de 1939, Carson estabeleceu aproximações para a Banda necessária na prática (A regra de Carson), uma vez que a largura de faixa teórica exigida por FM é infinita.

A História da FM confunde-se com a própria vida de E.H. Armstrong, considerado o pai da FM moderna. Suas inúmeras contribuições na transmissão de Rádio são comparáveis àquelas de Marconi, colocando-o na lista dos Top Technical Contruibutors em Engenharia Elétrica (IEEE). Acreditando praticamente sozinho na FM, Armstrong apostou toda sua vida no desenvolvimento desta técnica e montou as primeiras estações comerciais, operando na faixa de 42-50 MHz. Entretanto, a FCC (Federal Communication Commission) e as indústrias da rádiodifusão AM relutaram em aceitar esta "nova" modulação. A alocação de uma fatia do espectro para a FM foi negada durante muito tempo pela FCC. Apenas em 1944, devido a um engano (!), a faixa de 88 a 108 MHz foi alocada, como hoje, dentro da faixa de Tv comercial. De fato, devido a um erro técnico (!?), a FCC deslocou abruptamente a banda alocada à FM para esta faixa. Este fato tornou obsoleto todos os equipamentos já existentes na época, forçando a venda das antigas estações. Armstrong processou a FCC e em 1947, conseguiu ganho de causa, levando os "experts" da FCC a admitirem o erro. Porém, a despeito do fato, a alocação permaneceu inalterada e não houveram indenizações.

Nesta época, a indústria que havia lutado contra a FM, ao verificar o sucesso da mesma, passou a visualizar os méritos da idéia e começou a usar estas invenções sem pagar Royalties. Armstrong passou grande parte da sua vida em batalhas jurídicas nas cortes de justiça, num dos processos de patente mais complicados da era, servindo de referência para Advogados. Se recebesse pelo uso de suas idéias, talvez somente o circuito superheteródino (abaixo) o tornasse o homem mais rico da face da Terra. Depois de lutar toda sua vida pela FM, sem sucesso, esgotado, falido, desapontado, Armstrong cometeu suicídio em 1954, encerrando a luta de um dos maiores Engenheiros de todos os tempos.


O receptor Super-heteródino de Armstrong, apresentado Paris 1917.

 

| Página inicial | DES UFPE |