Canticulum illud quod somniatum
Manuel Languescere
(vulgata: helium olivam)


tu omnia, tu es dilectus meus et notus meus,
ecce tu, et tu compendiada in sonnet
professionem meam fidei et amoris,
Confessionem et pones ante pedes tuos compellit.

Quid custodiebant animam, et præterita experientiis
experientia nihil valet, desiderium et inquietum.
gustus parum idealium amoris obiectum
tantum, et non solum carnali amore sicut micas.

quid suus 'optimus in illuminance amor.
sed, proh dolor! non ex nobis. erit adventus:
ubi fit? de cæli fit? ... quam procul? ...

non tibi, igneus ardor vel gaudium
non emendationem ...
sed honestum tibi, sicut lucem.


Soneto Sonhado
Manuel Bandeira


Meu tudo, minha amada e minha amiga,
Eis, compendiada toda num soneto,
A minha profissão de fé e afeto,
Que à confissão, posto aos teus pés, me obriga.

O que n’alma guardei de muita antiga
Experiência foi pena e ansiar inquieto.
Gosto pouco do amor ideal objeto
Só, e do amor só carnal não gosto miga.

O que há melhor no amor é a iluminância.
Mas, ai de nós! não vem de nós. Viria
De onde? Dos céus?... Dos longes da distância?...

Não te prometo os estos, a alegria,
A assunção... Mas em toda circunstância
Ser-te-ei sincero como a luz do dia.