Professor Nilson Magalhães de Oliveira

Prof. NILSON MAGALHÃES DE OLIVEIRA

Formado Químico Industrial aos 21 anos em 1952 pela Escola de Química da Universidade do Recife (atual UFPE), ingressou em 1970 como professor na "Faculdade de Formação de Professores de Arcoverde" (PE), sendo Professor Titular em Física e Matemática, atualmente aposentado. 

 NILSON
Nilson Magalhães de Oliveira foi um dos expoentes do ensino superior em Arcoverde, Pernambuco. Nascido em Arcoverde, a 23 de Abril de 1931, estudou no "Colégio Americano Batista" e fez no Recife o curso de  Química Industrial, na Escola de Química. Recebeu a espada de oficial do CPOR em 1952 na primeira turma de Engenheiros Militares no Recife. Prematuramente, demonstrou habilidade, inata capacidade intelectual e versatilidade, interessando-se por todos os tipos de engenhos. Autêntico "bricoleur", na acepção do termo, surpreendia com desmontagens & montagens de bicicletas, automóveis, motores, relógios e todos os tipos de equipamentos que as mãos lhe caiam. Graduado na UFPE aos 21 anos, já dava provas de inteligência aguçada. Foi proprietário da "Drogaria Socorro" em Arcoverde, entre 1952 e 1958. O gosto pelas novidades técnicas o impulsionou a adquirir, em 1957, o "Cinema Rio Branco", o mais antigo cinema de Brasil em funcionamento, fundado em 1917. Em um desafio para a época, criou o "Cinema de Arte", exibido invariavelmente aos Domingos, novidade que manteve apesar de dificuldades locais, pelo que foi homenageado. Envolvendo-se com projetores, sistemas de som, deslumbrou-se com o desenvolvimento da recém-criada "Eletrônica" e passou a dedicar-se ao reparo de equipamentos de rádio, televisão etc. Montou então em 1958 a "OFICINA TV RÁDIO" (Av. Antonio Japiassú), onde atuou por mais de duas décadas, sendo representante autorizado da "ABC-A Voz de Ouro, Philips, e Motorola". Foi pioneiro no reparo de televisões coloridas. Por décadas, foi responsável pela manutenção de cinemas do interior, estações de radiodifusão e equipamentos médico-hospitalares. Membro fundador em 1960 e sócio 

benemérito da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Arcoverde, ACA. Foi Diretor Técnico da INOVA em 1970 e químico responsável de indústrias de  alimentos na região. Professor nato, voltou-se para o magistério, lecionando no ensino secundário em colégios locais, incluindo "Colégio Cardeal Arcoverde" e o atual "Colégio Rio Branco". Em 1970, foi nomeado Diretor da recém-criada "Escola Antônio Japiassú", cargo exercido até 1975. Do primeiro time de professores fundadores da "Faculdade de Formação de Professores de Arcoverde" (atual AESA), atuou decisivamente na consolidação da área de Ciências. Nomeado professor catedrático de Física, foi responsável e dirigiu com maestria disciplinas de Física avançada (Física I, II e IV, Física Moderna). Prosseguindo sua carreira no magistério superior, assumiu a cátedra de Matemática Superior da Faculdade de Formação de Professores de Arcoverde onde lecionou Cálculo I, II, Estatística. Cursou pós-graduação (lato sensu) ofertada pelo Depto de Matemática da UFPE e CECINE, obtendo especialização no ensino de Matemática Superior. Ávido por conhecimentos científicos, de idéias avançadas, consistentemente difundiu as novidades científicas, com zelo e primazia por todo o interior do estado. Em Arcoverde, foi pioneiro no uso de inovações técnicas (máquina datilográfica elétrica, TV em cores, videocassete, máquinas de calcular eletrônicas etc.). Leitor ávido de enciclopédias, verdadeiro devorador de livros, particularmente de textos sobre ciência. Membro do Departamento de Ciências, dirigiu este Departamento por longos anos. Prof. Nilson foi homenageado e eleito paraninfo de um incontável número de turmas de formandos da Faculdade. Atuou ininterruptamente na AESA de 1970 a 2001, quando foi aposentado em compulsória, após 30 anos de dedicação. Nesta longa trajetória, Nilson M. de Oliveira consolidou-se com Professor, formador de estudiosos na sua área de atuação, servindo de referência para inúmeros professores no interior do estado de Pernambuco. Em 2010, A AESA inaugurou o BLOCO Nilson Magalhães de Oliveira. (Fig.)