Ldo Ivo

A OBUSTUS (accommodatae: H.M. de Oliveira)

 

Combustio vestra omnia potest:

    amor litterarum.

   telephonum fasciculum tesserarum.

   indicem vestibus sordidis.

   per scripturas et testimoniales.

   revelationibus ad confratribus irarumque.

   interrupta confessio

   in venereæ poema confirmans impotentiæ

   quæ annuntiat ARTERIOSCLEROSIS.


Vetus chartas et imagines flavescunt.

relinquat nihil ad avidus heredes

neque hereditas in parte pertinet.


Similes lupos intra antro

et tantum ad spumae ostendant acuta dentium.

vivere et mori clausa quasi cochlea.

Semper dico nullum ad spodium eu nisl.


Delere inchoatas carmina, potiones

alte cadere et fragmenta

   quæ causa moratus orgasm de philologos et scholiasts.

sinas nulla litterarum ad quisquiliarum collectores

nemini absconditis tuis

   quæ veritas non possint.

 

 


A Queimada
Lêdo Ivo

Queime tudo o que puder:
as cartas de amor
as contas telefônicas
o rol de roupas sujas
as escrituras e certidões
as inconfidências dos confrades ressentidos
a confissão interrompida
o poema erótico que ratifica a impotência
e anuncia a arteriosclerose

os recortes antigos e as fotografias amareladas.
Não deixe aos herdeiros esfaimados
nenhuma herança de papel.

Seja como os lobos: more num covil
e só mostre à canalha das ruas os seus dentes afiados.
Viva e morra fechado como um caracol.
Diga sempre não escória eletrônica.

Destrua os poemas inacabados,os rascunhos,
as variantes e os fragmentos
que provocam o orgasmo tardio dos filólogos e escoliastas.
Não deixe aos catadores do lixo literário nenhuma migalha.
Não confie a ninguém o seu segredo.
A verdade não pode ser dita.