Civilia bestia amor est
Carolus Drummond de Andrade [versione libera]
(accommodatae: H.M. de Oliveira)

Civilia bestia amor est,
En: Amor salit super murus.
amor ascendit in arborem
potest ad questus nocere.
Promptus, Amor venit malum.
Igitur et videbo sanguinem,
et stillavit androgynous a corpore.
Hoc vulnere, proxima mea
sæpe vulneris in æternum
cras nonnumquam sanescente.

Amor bicho instruído
Carlos Drummond de Andrade

Amor é bicho instruído
Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.